Revista Acontece Sul

Metropol Parasol

Por Arquitetura - Thaïs Geremia em Arquitetura - segunda, 26 de maro de 2012

Eis o nome da construção tão grandiosa quanto polêmica do alemão Jürgen Mayer, vencedor de um concurso organizado em 2004 pelo Departamento de Urbanismo de Sevilha para a reabilitação da Plaza de la Encarnación. Inaugurado em 2011, trata-se de um local de imenso destaque no centro histórico de Sevilha.
Aliás, imenso é um adjetivo que combina bem com o Metropol: considerado a maior estrutura de madeira do mundo, com 8.000 peças entrelaçadas, 5.000m2 de área construída e 28,5 metros de altura, foram empregados 3.000m3 de madeira proveniente da Finlândia para erguê-lo. As cifras envolvidas combinam com sua imponência: custou por volta de 90 milhões de euros. Tais números dão uma pista da quantidade de admiradores que se encantam com a atração e também daqueles tantos que desdenharam o projeto desde o princípio, acusando-o de contrastar brutalmente com a atmosfera medieval da cidade e de ser oneroso ao Estado. De toda forma, é inquestionável seu valor arquitetônico, cultural e de lazer.
As placas de aço e madeira, que exercem função estética e estrutural, revestidas com poliuretano em tom palha, remetem a imensos guarda-sóis, que ajudam a criar um microclima e amenizar o calor intenso da cidade andaluz. A vegetação presente ao longo do caminho e fontes de água em locais estratégicos reforçam essa característica.
Sob outro olhar, o Metropol Parasol lembra grandes cogumelos. De fato, o modo como foram entrelaçados seus painéis ondulados, os pilares que parecem brotar do solo, as cores claras, tudo nos dá a sensação de uma estrutura com vida própria, quase orgânica. Outro aspecto marcante é a continuidade espacial criada pela composição, em que as curvas sinuosas criam um verdadeiro jogo de luz e sombras.
Todo esse espaço serpeante engloba um grande sítio arqueológico no seu subsolo, o Antiquarium – que abriga achados arqueológicos da época do império romano, com direito a casas adornadas por mosaicos – além de mercado, praça elevada, bares, restaurantes e um terraço com vista de tirar o fôlego das áreas circundantes. Um sistema de iluminação diferenciado também garante a atração à noite, tornando o local ideal para uma série de atividades, como shows, apresentações artísticas e eventos de moda.
Como podemos perceber, trata-se de uma infraestrutura altamente tecnológica que contribui para reavivar a Plaza de la Encarnación e a cidade de Sevilha, tornando-a um destino irrecusável para os que sabem apreciar a inquieta linguagem arquitetônica contemporânea, num belo contraste do que há de melhor entre passado e futuro.
 

Comentários