Revista Acontece Sul

SAÚDE - EMAGRECER

em Beleza & Saúde - sexta, 08 de maio de 2015


Emagreça  crescendo por dentro

 

Muitos de nós quando precisamos ou queremos “emagrecer”, tratamos logo de “perder peso”, o mais rápido possível, e frequentemente por meios pouco saudáveis. Isto porque o quanto antes nos livrarmos do peso do corpo e da consciência, mais aliviados nos sentiremos. Quando o emagrecimento aparece, nossa auto-estima aumenta, nos sentimos mais leves de corpo e de alma. É verdade que esta conquista pode nos motivar a seguir em frente no processo de emagrecimento, porém como normalmente ocorre no ser humano, nos sentimos felizes e poderosos, nos julgamos curados, e por impulso voltamos a nos comportar como antes em relação a comida. Tudo volta ser igual: Comemos, nos culpamos. Nos deprimimos, comemos mais e voltamos a engordar. Estabelece-se assim, o círculo vicioso tão frequente entre indivíduos com sobrepeso ou obesidade.

O sobrepeso e a obesidade são doenças que se instalam em alguns indivíduos de forma imperceptível, muitas vezes mascaradas pelo “prazer ao comer”, “eventos sociais” significando fartura, prosperidade e alegria. 

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a medida referente ao acúmulo de gordura em nosso organismo é feita pelo cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), cuja fórmula é calculada pela altura ao quadrado dividida pelo peso. Considerando os resultados obtidos com esta fórmula, temos as seguintes situações: 

 



IMC até 18,5               Magro

IMC de 18,5 e 24,9   Normal

IMC de 25 e 29,9       Sobrepeso ou obesidade 1º grau

IMC de 30 e 39,9      Obesidade 2º grau 

IMC acima de 40      Obesidade mórbida


Essa fórmula nos fornece apenas, parâmetros gerais. Outras medidas são utilizadas contribuindo para um diagnóstico mais preciso, tais como, circunferência abdominal e dobras cutâneas. Lembramos ainda que variáveis como idade, presença de certas doenças e também a intensidade e frequência de atividade física devem ser consideradas no diagnóstico e tratamento.  

Cabe aqui lembrar que a obesidade, é uma doença multicausal. Causas endócrinas, genéticas, situacionais, psicológicas e de ingesta inadequada podem ocorrer juntas,  sendo difícil saber quais as predominantes. Entretanto na maioria dos casos as variáveis ingesta e estilo de vida são mais prevalentes. Assim segundo a literatura especializada moderna a eficácia dos tratamentos da obesidade está relacionada com a reeducação alimentar e mudança de estilo de vida. Medicações poderão ser indicadas desde que uma dieta adequada e acompanhamento psicológico sejam incluídos. Muitos casos de obesidade mórbida são indicados para cirurgia bariátrica, desde que certas condições do paciente sejam favoráveis, e que outras tentativas de tratamento não tenham tido sucesso. Nestes casos, onde o paciente é beneficiado com grande perda de peso, faz-se necessário reeducar o indivíduo para que adote hábitos saudáveis . 

Recente pesquisa do Ministério da Saúde apontou o surpreendente índice de 53% de sobrepeso na população brasileira. Quanto às crianças o crescimento dos índices de sobrepeso e obesidade são alarmantes. 

Porque estamos engordando à nós e às nossas crianças? Se pararmos para refletir, encontraremos algumas respostas... 

Somos sedentários, gostamos de nos deliciar com pratos saborosos, nossas casas e mercados possuem imensa oferta de comidas. Nossa vida é corrida, não sobra tempo para planejar nossas refeições. Preferimos comprá-las ou comer fora para simplificar as coisas.  Muitas vezes substituímos refeições por lanches rápidos. Nossas crianças ficam expostas a estes hábitos

O combate à obesidade se faz com a mudança de cabeça, de comportamento, de foco, de estilo de vida dos indivíduos, famílias e grupos sociais. Através da conscientização de sua doença, vontade de mudar, vontade de ser saudável e ter um novo corpo; o indivíduo começa seu processo de emagrecimento, que é um processo de mudança gradual. Parte  de dentro para fora e geralmente é causado por algum sofrimento e baixa auto-estima. O indivíduo se incomoda com seu corpo, fora de forma, com seu jeito descontrolado de comer e com sua doença. Ele quer mudar. Este é o primeiro e importante passo. 

O processo de emagrecimento é uma caminhada individual, muito mais abrangente do que simplesmente “ficar magro”. Necessita do constante apoio de familiares e amigos, além da intervenção de profissionais especializados. Implica em algumas perdas que poderão ser sentidas como trocas e escolhas feitas conscientemente pelo próprio indivíduo em processo de mudança. É essencialmente um processo de auto-conhecimento. Se o indivíduo, além de profissionais especializados, contar com um grupo de parceiros, que estão na mesma situação, se estabelecerá entre eles, uma relação de ajuda muito rica. Isso potencializa os efeitos do tratamento. Acolhimento e troca de vivências entre os membros de um grupo de apoio para emagrecimento, são essenciais para o sucesso do  tratamento. Ansiedades, carências, frustrações, conquistas e alegrias são sentidas de maneira compartilhada a cada reunião em grupo. O indivíduo engajado neste processo, vai aprendendo a cada dia sobre estilo de vida e alimentação saudável. Porém o que mais determina  sua mudança de comportamento e atitude, é o aprendizado sobre si mesmo: auto-conhecimento. Emagrece seu corpo e cresce por dentro como ser humano. Sua auto-estima aumenta, sente-se vitorioso.  

Terminou a caminhada? Curou sua obesidade? Pode voltar comer tudo que encontra pela frente?  

NÃO. Já não necessita comer TUDO. Obesidade não tem cura e sim recuperação. Sente-se bem mais confiante, caminhando em direção à recuperação. Sua caminhada continua porque, apreendeu a construir sua própria estrada.

 

Menos é Mais

Rua Mariana Pezzi, 115/sala 102 - Caxias do Sul - RS

(54) 3214.8811

menosemais@menosemais.net

www.menosemais.net


 

Comentários