Revista Acontece Sul

A medida da beleza

Por Beleza - Mirtes Rodrigues em Beleza & Saúde - tera, 19 de setembro de 2017

A Proporção Áurea também pode ser chamada de número de ouro, número áureo, seção áurea, proporção de ouro, razão áurea, divina proporção, divina seção, proporção em extrema razão, divisão da extrema razão, aura excelência e, por último, razão de Fídias, em homenagem ao escultor e arquiteto grego que, entusiasmado pelo conceito, teria utilizado na criação do Parthenon.

 

Mesmo com a luta diária para a quebra de padrões, a busca por simetria e perfeição quando o assunto é beleza continua incessante. Para atender à demanda, médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos estão sempre em busca de novas soluções. Uma das últimas novidades é o tratamento com base em um conceito milenar que os gregos usavam para reproduzir figuras e medidas similares, a Proporção Áurea.

Manifestada diversas vezes na natureza, essa métrica garante formas exatas e fascinantes como o miolo de um girassol e as conchas de caracóis. Grandes artistas renascentistas, como Leonardo da Vinci, se apropriaram da Proporção Áurea para realizar suas obras, sendo a Mona Lisa um exemplo perfeito.
Mas afinal, qual é a medida da beleza? Trata-se de uma constante obtida quando uma reta é dividida em dois segmentos, de forma que a parte mais longa da reta dividida pela menor seja igual à reta completa dividida pelo segmento mais longo. O valor desta constante é 1,618. Difícil, né? Porém, este é o valor encontrado quando comparamos dois seguimentos de algo que nos parece ter uma proporção perfeita.
Sobre o conceito aplicado na estética médica, quanto mais próximo de 1,618 for o resultado da comparação entre duas determinadas áreas da face, mais próximo da perfeição e do ideal estético o rosto está.
Os dermatologistas dizem que a Proporção Áurea é muito utilizada no seu trabalho: “É preciso fazer um mapeamento da face e, a partir dos cálculos, fazer as correções. Sempre respeitando a natureza de cada rosto para que as regiões assimétricas sejam corrigidas com harmonia e equilíbrio”. Para quem não sabe, o preenchimento de ácido hialurônico pode ser aplicado utilizando a matemática áurea, fazendo com que o rosto fique proporcional. A aplicação, por se tratar de um tratamento minimamente invasivo, pode ser feita no próprio consultório, sem necessidade de internação. Além disso, o ácido hialurônico está presente no organismo, é totalmente absorvido ao longo do tempo e a técnica correta promove resultados harmoniosos e naturais.

Comentários