Revista Acontece Sul

Entrevista: Edson da Rosa

em Cidade - quinta, 07 de fevereiro de 2013

Confira a seguir uma entrevista exclusiva concedida pelo vereador Edson da Rosa à revista Acontece. Edson faz questão de convidar a população para que acompanhe mais sessões da Câmara e para que conheça o Legislativo. As sessões Ordinárias ocorrem toda a semana, às terças, quartas e quintas-feiras, a partir das 17h.“Também é importante que venham conhecer os gabinetes dos vereadores e todo o espaço da Casa, que, afinal de contas, é a ‘Casa do Povo’. Dessa forma, as pessoas podem firmar conceitos próprios sobre o nosso trabalho.”
Revista Acontece: Como o senhor encara o desafio de assumir a presidência da Câmara justamente no ano em que a vereança em Caxias do Sul passa a ser de 23 vereadores?
Edson da Rosa: O número de 23 vereadores aumenta a representatividade da cidade, e isso se deu por um dispositivo Constitucional, que autorizou este debate. É realmente um desafio, pois liderar líderes não é fácil. Mas o desafio faz com que possamos crescer. Eu posso dizer que encaro com um desafio bem positivo. São 23 vereadores que vêm para somar com o município. Certamente, as demandas de Caxias poderão ter uma abrangência ainda maior, até porque todos os vereadores do Legislativo caxiense, independentemente de partido, têm a mesma forma de pensamento no que diz respeito a realizar seus trabalhos direcionados para os assuntos de maior interesse da população. As discussões nas sessões e as diferentes opiniões já fazem parte da Casa, mas são fundamentais para que o resultado final seja realmente atender às demandas do povo caxiense.
Revista Acontece: Quais as suas prioridades frente ao cargo de presidente da Câmara?
Edson da Rosa: Em um primeiro momento, eu estou ouvindo todos os setores da Casa, todos os funcionários, para poder estabelecer a melhor forma de trabalho. Depois de me inteirar de tudo, iremos definir onde nosso pensamento se encaixa no que está sendo feito. Assim será dada continuidade ao que está bom e melhorado o que foi detectado nesta primeira etapa. 
Revista Acontece: O que o senhor considera de vital importância para que os vereadores possam exercer seus mandatos de forma transparente e eficiente?
Edson da Rosa: Estar voltado para os interesses da população. Sendo oposição ou situação, é fundamental estabelecer esse vínculo direto com o povo.
Revista Acontece: Quais os projetos diferenciados que a Câmara de Vereadores pretende pôr em prática durante este ano. Por exemplo, o projeto Câmara Vai aos Bairros terá continuidade? Ou haverá projetos semelhantes?
Edson da Rosa: O Projeto Câmara Vai aos Bairros será discutido com o conjunto de vereadores. Particularmente, eu aprecio o projeto e gostaria que tivesse continuidade. É nesse momento que o vereador pode conhecer melhor as demandas das regiões do município. Claro que cada um dos vereadores tem seu próprio método de estar em contato com a população, mas o projeto Câmara Vai aos Bairros faz com que o Legislativo, como um todo, se informe de tudo que possa estar afetando a vida dos moradores. Conheceremos as pessoas que vivem nessa localidade estreitando os relacionamentos. Outro projeto importante é o protocolo de intensões para a TV Câmara aberta, com sinal digital, que está sendo encaminhado.
Revista Acontece: Pessoalmente, como o senhor quer realizar o seu trabalho?
Edson da Rosa: Eu Já trabalhei muito, inclusive quando precisava ajudar minha família em casa, vendendo pastéis e picolés nas ruas da cidade. Isto me ajudou a ser quem eu sou hoje, um homem que busca a justiça social, que busca a igualdade entre todas as pessoas, independentemente da profissão, etnia ou religião. O importante é o caráter da pessoa, é a vontade de trabalhar para proporcionar o melhor pra sua família. E quando eu vendia pasteis, sabia da importância daquele dinheiro para nossa família. Era um trabalho simples, mas digno e fundamental naquele momento pra mim. Depois disso, com o estudo, fui conquistando o mercado de trabalho e passei por diversas empresas até chegar onde estou, como Presidente do Legislativo Caxiense.
 

Comentários