Revista Acontece Sul

Foco de estudos na longevidade

Por Editor Chefe e produtor do Caderno Carros & Cia - Paulo Rodrigues em Cidade - tera, 09 de abril de 2013

O número de idosos no Brasil aumenta a cada ano. A Universidade de Caxias do Sul, atenta a essa realidade, contribui com a sociedade por meio de pesquisas e outras ações
O último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010) revela que o número de idosos cresceu mais de 40%, enquanto a população geral cresceu 12%. “Esses dados apontam para os impactos que a população brasileira terá frente ao envelhecimento nas próximas décadas. Temos que preparar nossos alunos e a sociedade para essa realidade”, destaca a socióloga e professora Vania Herédia, coordenadora do Núcleo de Estudos do Envelhecimento Humano da UCS, existente desde 1993.
A UCS tem realizado pesquisas na área do envelhecimento que evidenciam que cada indivíduo, na velhice pode ter ritmos e formas de desenvolvimento diversos. “Conhecer o que caracteriza a velhice impõe a necessidade de novos estudos pelos impactos que a longevidade traz e, também, porque nesse período histórico, a sociedade está convivendo com centenários, fenômeno antes não conhecido”, analisa Vania.
As pesquisas realizadas na Instituição mostram que a terceira idade é uma etapa de vida totalmente diferente do que se acredita. Existem muitos problemas de ordem familiar, de ocupação e de estilo de vida. “Podemos destacar o fato de as pessoas trabalharem exaustivamente durante toda a vida para, na velhice, poderem aproveitar as boas condições financeiras. Na verdade, isso não ocorre. Nessa etapa da vida, elas não têm o mesmo poder aquisitivo, por diversos motivos, como saúde debilitada, falta de apoio familiar e o baixo benefício concedido como aposentadoria”, afirma a professora.
Atenta ao despreparo da sociedade com o aumento do número de idosos nos últimos anos, a UCS tem oferecido uma disciplina eletiva para todos os acadêmicos de graduação. Trata-se da disciplina “Longevidade: vida e sociedade”, que proporciona aos alunos o conhecimento do processo de envelhecimento humano.
A disciplina originou-se com o desenvolvimento de pesquisas no Núcleo de Estudos de Envelhecimento Humano. Essa abordagem foi inserida no currículo acadêmico numa interação entre os diferentes centros e unidades de ensino da Universidade.
Durante o semestre, quatro professores ministram aulas que envolvem assuntos como aspectos sociológicos, psicológicos, biológicos e político-sociais do envelhecimento humano. De acordo com a professora Vania, que coordena a disciplina, “depois de anos de pesquisa, a UCS está socializando seus estudos com a finalidade de preparar seus alunos para o processo de envelhecimento”. Ela explica que, a partir desses conhecimentos, a disciplina pretende, também, permitir aos acadêmicos a conquista de uma velhice bem-sucedida, além da atuação no mundo do trabalho com competência.
 
O Núcleo - Três áreas do conhecimento são pesquisadas no Núcleo de Estudos do Envelhecimento: Envelhecimento e Educação, Envelhecimento e Interfaces da saúde e Envelhecimento e Políticas Públicas. A partir das pesquisas realizadas foi criado o curso de especialização em “Envelhecimento e Saúde do Idoso”, com a conclusão da primeira turma neste semestre. Entre os objetivos está o de habilitar profissionais para lidar com a questão do envelhecimento e da saúde do idoso, além de desenvolver habilidades e competências que respondam as questões inerentes ao processo de envelhecimento.
Universidade da Terceira Idade - Com a oferta de diversas atividades para a terceira idade, a UCS criou, em 1995, a Universidade da Terceira Idade (UNTI) como um programa de extensão universitária. Dentro do propósito de orientar pessoas, a partir dos 50 anos, a prepararem uma terceira idade melhor, a UNTI busca integrar seus participantes ao ambiente acadêmico. Atualmente conta com mais de 800 alunos matriculados em três áreas: “Saúde, movimento e lazer”; “Atualização e aquisição de novos conhecimentos”, e “Arte e cultura”.
No dia 19 de março, ocorreu a aula de início de semestre para os alunos matriculados na Universidade da Terceira Idade. A atividade, realizada no UCS Teatro, na Cidade Universitária, teve palestra do professor da Universidade Internacional da Paz, Jorge Antonio Trevisol,  que abordou o tema “Etapas da Vida: Percalços, beleza e encanto”. Informações sobre a UNTI pelo telefone (54) 3218.2271.
 
Aprendizado sobre o envelhecimento - Foi em busca de conhecer melhor os processos que envolvem o envelhecimento humano que a acadêmica do curso de Psicologia, Letícia Sottoriva, 29 anos, matriculou-se nessa disciplina. “Queria entender e aprender mais sobre o assunto, já que no meu curso o foco é voltado às questões do desenvolvimento humano”, conta. Ela relata que, como muitas pessoas, acreditavam que o envelhecimento era um processo muito distante e um assunto que as pessoas preferem ignorar.
Letícia crê que o conhecimento adquirido na disciplina servirá para a sua própria vida. “Acho importante haver planejamento no que se refere a hábitos saudáveis, tentar ao máximo se manter em atividade, ter autonomia. Mas acima de tudo, ao saber que esse processo é dinâmico, acho essencial buscar sentido em todas as etapas da vida”, opina. Depois de ter cursado a disciplina, a acadêmica passou a integrar o Núcleo de Estudos como bolsista.
Segundo a professora Vania, que também é presidente do Departamento de Gerontolgia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Geontologia do Rio Grande do Sul, os alunos acreditam em uma velhice que não existe. “Como são muito jovens, a imaginam sem dificuldades e sem problemas, como se os idosos tivessem a idade deles”, destaca. Ela enfatiza que, durante as aulas nessa disciplina, busca-se despertar questões que podem modificar o rumo de vida de muitos ou, pelo menos, as relações por eles estabelecidas como pessoas, como profissionais e como cidadãos.
 

Comentários