Revista Acontece Sul

Volta às aulas exige preparação

em Cidade - segunda, 10 de fevereiro de 2014


Além da preocupação com o que fazer com os filhos durante as férias, os pais precisam preparar as crianças para a volta às aulas. Especialistas alertam que a retomada da rotina escolar não pode ser feita de um dia para o outro, principalmente quando se trata de alunos do ensino fundamental.

Um dos problemas, dizem, é a adaptação aos horários, como o de acordar e de comer. “Se a criança vai de manhã para a escola, ela deve voltar a dormir mais cedo pelo menos uma semana antes. Assim, ela não sente tanto esse impacto”, diz a psicopedagoga Raquel Caruso Whitaker.

Na última semana de férias, os pais devem começar a ‘lembrar’ os filhos de que eles precisam voltar a estudar. “É preciso que a criança passe por uma preparação emocional. Os pais podem, por exemplo, ajudar os filhos a organizar o material escolar, perguntar a ele se está faltando alguma coisa”, sugere Renata Simon.

Também é preciso ‘frear’ a criança que está muito agitada, fazendo atividades esportivas ou brincando o tempo todo. Para isso o ideal é fazer com que ela passe algumas horas lendo. O retorno à vida escolar é ainda mais difícil quando se cria o vício de deixar os filhos ficarem horas em frente à TV ou ao computador.

Nesse caso, a readaptação é ainda mais complicada. Muito tempo seguido diante da TV faz a criança perder a noção do tempo, o que pode dificultar sua readaptação à escola, principalmente nas primeiras semanas. Além disso, a criança que fica muito tempo assistindo TV adquire o hábito de comer muito, principalmente salgadinhos e doces, e na hora errada.

“É preciso retomar o horário das refeições com antecedência, para que ela não sinta tanto essa diferença”, diz Raquel. A psicopedagoga Renata também acredita que a volta é mais difícil para as crianças que trocaram brincadeiras e viagens pelos equipamentos eletrônicos. “Não adianta o pai deixar os filhos passarem as férias jogando videogame achando que, uma semana antes de voltar à escola, vão esquecer o brinquedo”, diz.

Mesmo nas férias, elas aconselham os pais a continuar impondo limites aos filhos. “Algumas regras devem ser mantidas. Uma menina de 12 anos não pode ficar a noite toda na Internet só porque está de férias”, diz Raquel. Renata concorda. Os pais devem deixar claro que férias não têm nada a ver com falta de regras.

Comentários