Revista Acontece Sul

Colégio Madre Imilda

Por Crônica Turismo - Uili Bergamin em Cidade - segunda, 05 de maio de 2014


Educando corações e mentes para a solidariedade

 

Nascido em 15 de março de 1928 como Orfanato Santa Teresinha, o Colégio Madre Imilda é sem dúvida uma das mais antigas e respeitadas instituições de ensino de Caxias do Sul e região. Em 2014 completou 86 anos de uma história riquíssima, que nasceu justamente da palavra-lema que norteia seus trabalhos: solidariedade. 

Por aquela época, Dona Angelina Michielon – hoje nome de importante rua - acolhia em sua residência meninas órfãs vindas de todos os cantos da cidade e até de municípios vizinhos. Com o passar do tempo decidiu entregar sua obra a uma instituição, pois custeava as despesas com recursos próprios e, como o número de meninas só aumentasse, seu heroísmo começou a se tornar inviável. Assim, doou a casa e o terreno às Irmãs do Imaculado Coração de Maria, solicitando que, em troca, tivesse amparo e assistência até o final de sua vida. 

Cinco irmãs atendiam 36 órfãs, oferecendo a estas uma educação global: ensino primário, aulas de religião, trabalhos com agulhas, artesanato, etc. A diretoria do orfanato partiu em busca de benfeitores, empresas e prefeituras para colaborar mensalmente, já que a demanda crescia ano após ano, em número e exigências. Algumas senhoras leigas também ajudaram na coleta de alimentos e esmolas, pois havia o intuito de reformar o velho casarão de madeira onde tudo começou.

Em 1938, devido a dificuldades de manutenção, tiveram início as atividades de internato, com bolsistas que colaboravam para o sustento e aprendizado. Nesse período o orfanato passou a se chamar Instituto Santa Teresinha, abrigando mais de 200 meninas.  Junto ao internato funcionava o Curso Primário, para as internas e também para alunos de fora. 

No dia 24 de janeiro de 1954 aconteceu a solenidade de inauguração do novo prédio e dois anos depois a instituição subiu de categoria, denominando-se Ginásio Imaculado Coração de Maria. 

Em 10 de março de 1960, com o objetivo de proporcionar formação de professores, foi instituído o Curso Normal Madre Imilda, em homenagem a Diretora Geral da Congregação na época, assim chamada, que ocupou o cargo por 18 anos. Desde então a escola passou a ser conhecida como Escola Normal Madre Imilda. 


Nos anos seguintes muitas coisas foram criadas, como o 1º Clube de Mães de Caxias do Sul, o Auditório, a Associação de Pais e Mestres, a Capela, o Ginásio de Esportes e a Banda Marcial, que chegou a contar com 65 componentes, conquistando inúmeros troféus, medalhas e condecorações. 

Em 1971, após um longo trabalho de conscientização na comunidade, o internato para órfãs foi extinto. Depois vieram o Curso Supletivo, o Curso de 2º Grau Noturno e outras reformas que as leis e as novas demandas exigiam. O espaço desocupado foi adaptado para o pensionato, que ficou ativo até 1988, quando todos os aposentos foram transformados em salas de aula ou salas especiais. 

Dez anos depois, quando a Escola comemorou seu 70º aniversário, foi dado início ao projeto do Ensino Médio, com a construção de um novo prédio e aprovação do Regimento Escolar. No ano seguinte foi efetivada a implementação do mesmo, com 3 turmas de alunos. A Escola passou a denominar-se, então, Colégio Madre Imilda.

 


Norte espiritual

e ideológico

Fundadora da Congregação das Irmãs do Imaculado Coração de Maria, mantenedora do Colégio, a religiosa austríaca Bárbara Maix nasceu em Viena em 27 de junho de 1818 e faleceu no Rio de Janeiro em 17 de março de 1873. Chegou ao Brasil em 9 de novembro de 1848 – embora sua vontade fosse a América do Norte - numa espécie de fuga da revolução liberal que assolava a Áustria. Religiosos de várias ordens eram perseguidos e hostilizados. Um ano depois de aportar aqui, fundou a irmandade, com 22 membros. 

Irmã Bárbara foi beatificada em 6 de novembro de 2010 em Porto Alegre, principalmente por conta de um milagre atribuído a ela, ocorrido em 1944, no Distrito de Santa Lúcia do Piaí, interior de Caxias do Sul. 

 

A atualidade


Pela primeira vez em sua história, a instituição é dirigida por uma leiga: Mônica Bisol, 46 anos, ex-aluna do Madre Imilda. Há 14 anos ela trabalha no Colégio e desde 2011 é Diretora, tendo como vice a Irmã Serena D. Reichert e a coordenação pedagógica de Toni Olsen. Outras 8 religiosas ainda compõe o quadro da mantenedora na cidade, a maioria delas com funções específicas dentro do Colégio. 

Localizado na Avenida Júlio de Castilhos, 98, no Bairro de Nossa Senhora de Lourdes, onde a história teve início, o Madre Imilda conta hoje com 46 funcinários, 57 professores e aproximadamente 1000 alunos. Oferece os cursos de Educação Infantil – Níveis 1 e 2, fortemente calcados na ludicidade; Ensino Fundamental – 1º ao 9º Anos; Ensino Médio – que possui características ousadas e inovadoras - e Turno Integral, além de outros cursos como o Clube de Língua Inglesa e diversas atividades complementares do currículo. Muitas delas colocam os alunos em contato direto com a comunidade, através de ações sociais, outras trazem para dentro dos espaços da instituição palestrantes e escritores. Possui um Ginásio Poliesportivo, construído em 2002 e uma estrutura geral muitíssimo bem conservada.

Assim como sonhou Bárbara Maix, sua congregação partiu para a ação, percebeu as necessidades de mudança, mas não se rendeu a qualquer moda passageira. Políticas pedagógicas muito bem pensadas em equipe e um passado cheio de exemplos positivos colocam, há décadas, o Colégio Madre Imilda entre os melhores da Serra Gaúcha.

 



 


 

Comentários