Revista Acontece Sul

Hidrômetros: o fato e a versão

em Cidade - quinta, 08 de outubro de 2015


Em tempos de crise hídrica, muito se comenta sobre o alto índice de perdas de água no país. Neste sentido, o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (SAMAE) mantém um programa permanente de troca e aferição de hidrômetros. Atualmente, a autarquia está substituindo os aparelhos, preferencialmente, com 15 anos ou mais de uso. O grande fator de erro nas medições dos hidrômetros, que geralmente o fazem marcar menos do que foi consumido, é o tempo de uso do aparelho, que acarreta desgastes nas partes internas.

 Os medidores adquiridos pelo SAMAE atendem a todas as normas do Inmetro. Assim, o equipamento recebido pelo SAMAE é lacrado e aferido pelo mesmo órgão. Depois que a autarquia troca os medidores antigos por novos, a aferição do consumo é muito mais precisa. Desta forma, é natural pensar que o equipamento estaria com algum tipo de defeito. Divergências nas contas são comuns, uma vez que o novo hidrômetro mede fielmente o que é gasto e, possivelmente, difere do que o hidrômetro anterior marcava. 

 Em um universo de mais de 130 mil ligações de água, o número de reclamações é ínfimo. Dos mais de 45 mil hidrômetros instalados na atual gestão, apenas um lote de 75 medidores da fabricante Itron apresentou falhas técnicas na relojoaria (local onde há a totalização do consumo). Em razão deste problema, detectado pela equipe técnica do SAMAE, as contas de água (apenas deste lote de 75 medidores) podem ter chegado com um consumo maior que o efetivamente gasto. Estes hidrômetros já foram substituídos, com as devidas correções, sem ônus ao consumidor.

 Um fato pontual não pode prejudicar o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo SAMAE. Em nenhum momento, o programa de substituição dos hidrômetros foi implantado para obter lucro ou prejudicar o consumidor. O SAMAE não quer cobrar nenhum litro a mais ou a menos da água consumida pelos caxienses. Quer sim cobrar o que é justo, ou seja, o consumo real. 

 Além disso, durante a execução deste programa, o SAMAE tem encontrado diversas irregularidades, como furto de água e ligações clandestinas, casos que contribuem para o aumento das perdas. Reduzir esse número significa atender mais usuários com a mesma quantidade de água retirada da natureza. Combater o desperdício é uma forma eficaz de responder ao desejo das pessoas pela melhora na qualidade dos serviços públicos e pela preservação do meio ambiente.

 

Edio Elói Frizzo

Diretor-presidente do SAMAE

 

Comentários