Revista Acontece Sul

Mercado Imobiliário

Por Sem colunista em Cidade - sexta, 23 de fevereiro de 2018

Preis & Lopes de Almeida traz novo 

conceito para a serra gaúcha

 

Fundada em Porto Alegre, Start up já alinhavou 

novos negócios em Caxias do Sul, Gramado e Canela

 

Enquanto o mercado trabalha com base nas ofertas de imobiliárias e corretores tradicionais, a Start up Preis & Lopes de Almeida (PLDA) – Inteligência em Real Estate -, percorre caminho inverso, concentrando seus esforços naqueles locais onde as empresas varejistas líderes buscam instalar suas futuras lojas, garantindo diferencial e competitividade para as próximas décadas. Portanto, a empresa busca aquilo que está por vir.

Com sede em Porto Alegre, na Avenida Carlos Gomes, 700, a PLDA surgiu com o intuito de unir, de um lado, o interesse de redes de varejo que buscam locais com alto potencial de faturamento e um custo de ocupação saudável, e de outro, investidores que buscam segurança e um retorno acima da média de mercado para seus investimentos.

Mas como isso acontece? Unindo inteligência aplicada ao mercado imobiliário e ao profundo conhecimento de varejo. Tudo isto fez com que, por exemplo, grandes marcas, algumas reconhecidas mundialmente, como Mc Donald´s, PanVel Farmácias, Lojas Renner, Bradesco, Droga Raia, Pague Menos, Dia %, Caixa e Pizza Hut, por exemplo, procurassem a Preis & Lopes de Almeida. Em um período onde o mercado imobiliário está em retração, com uma vacância alta, chama à atenção a capacidade de encontrar bons pontos e de atrair boas marcas.

Três sócios estão à frente da Start Up PLDA. Felipe Preis, advogado especialista em investimentos imobiliários, Sérgio Zimmermann, economista e profundo conhecedor do mercado imobiliário paranaense e João Lopes de Almeida, executivo que já atuou como Diretor de Expansão da PanVel Farmácias, e com passagem por Caxias do Sul, tendo sido Superintendente do Shopping Center Iguatemi Caxias por três anos.

Preis detalha como funciona a atuação da PLDA: “Nosso trabalho funciona através do desenvolvimento de operações estruturadas de real estate e administração de portfólios imobiliários geradores de renda, por meio da transformação de espaços urbanos e da criação de ambientes que facilitam o dia a dia das pessoas.”

A serra gaúcha faz parte da agenda dos três sócios, que visitam com frequência Caxias do Sul e região para reuniões com investidores e apresentação de novos projetos. “Esta região sempre foi muito interessada em negócios imobiliários e a partir do conhecimento do nosso modo de trabalho, do nível de segurança e das taxas de retorno, passamos a vir com mais frequência à Serra” explica Lopes de Almeida.

Em Caxias do Sul, por exemplo, a empresa inaugurou uma das lojas que apresenta maior crescimento de faturamento da rede de farmácias PanVel na região, localizada próximo a Casa de Pedra. Ainda na serra gaúcha, no ano passado, inauguraram uma PanVel com arquitetura integrada ao padrão de Gramado, localizada na Av. das Hortênsias. Em Canela, a PLDA está desenvolvendo projeto de strip Center, onde uma das operações será do segmento de saúde e, em Caxias do Sul, atualmente trabalha no desenvolvimento de um mall (centro comercial) com o conceito “one stop shop”, onde o consumidor irá encontrar conveniência e segurança para realizar suas compras diárias. Todos estes projetos têm inaugurações de lojas previstas ainda para 2018.

A empresa não utiliza placas e trabalha de forma bastante “low profile”, com discrição. O maior marketing é o boca-a-boca. E novos negócios, ao que parece, será uma certeza para estes empreendedores em 2018, como explica Preis: “A queda na taxa de juros já foi suficiente para acelerar o ritmo dos negócios em 2018 e muitos investidores estão qualificando seus ativos imobiliários, trocando ativos residenciais e salas por lojas comerciais construídas sob medida para grandes redes varejistas, mais resilientes em períodos de crise e que não sofrem tanto com a vacância.”

Por fim, Lopes de Almeida ressalta que a vacância ocorre nos pontos ruins ou medianos, pois os bons pontos, mesmo na crise, continuam com muita disputa e liquidez. “Não é fácil determinar o que será um bom ponto comercial daqui há 10 ou 15 anos, mas com conhecimento de varejo, metodologia e softwares de geomarketing, conseguimos trabalhar estas questões e podemos dizer com segurança que as grandes redes de varejo já perceberam que a gente busca exatamente o que elas desejam.”

Comentários