Revista Acontece Sul

Só Pensa Naquilo

Por Editor Chefe e produtor do Caderno Carros & Cia - Paulo Rodrigues em Diversos - tera, 02 de agosto de 2011


No “game” “Strip Quizz”, Fernanda vai receber casais como convidados. Em uma das edições, Flávia Alessandra e Otaviano Costa disputam a competição com o socialite Bruno Chateaubriand e seu companheiro, o empresário André Ramos.
Leandro Hassum e André Marques participam do quadro “Sexo Selvagem” junto com Fernanda.
“Amor & Sexo” mantém o casal de repórteres Valéria Abaurre Gonçalves e Fábio Gonçalves, que são casados há mais de 50 anos.
 

 
 
Fernanda Lima emplaca terceira temporada de “Amor & Sexo”
 A memória de Fernanda Lima até apagou certos registros. Mas suas amigas hoje deixam claro para a apresentadora que o “Amor & Sexo” parece ter sido feito sob encomenda para a gaúcha de Porto Alegre. Na terceira temporada do programa mais picante da Globo, Fernanda jura que sempre se achou tímida e quadrada. Mas hoje, o que ouve dos velhos conhecidos é que está “em casa”. “Outro dia mesmo eu reencontrei uma amiga que disse: ‘nossa, só podia ser você. Sempre falou tão bem sobre sexo’! Mas eu mesma não me lembro disso”, diverte-se. E garante como ela mesma diz, ter “finalmente” se encontrado dentro da emissora. “É um espaço para chamar de meu. Foi uma proposta nova, com o meu jeito, sem regras. A gente conversa bastante até chegar ao tom ideal, mas tem a minha cara”, gaba-se.
Para Fernanda, um dos grandes diferenciais de “Amor & Sexo” é o fato de ser um programa de entretenimento que abre portas para um debate que, em muitos lares, não ganha espaço com facilidade. “Mas quando você fala, dependendo da abordagem, nem precisa pedir que o outro se coloque, que dê opinião”, analisa. Uma condição que deixa não só a platéia, mas também os convidados e a própria apresentadora muitas vezes falando além do esperado. “Todo mundo acaba se excedendo um pouco. Tem momentos em que você se depara com uma pessoa da platéia debatendo diretamente com um dos convidados, de igual para igual. Isso é muito bom”, avalia.
Em sua segunda temporada, exibida no início deste ano, “Amor & Sexo” liderou por diversas vezes o ranking dos assuntos mais comentados do mundo na rede social Twitter. A ferramenta, aliás, já virou uma espécie de medição minuto a minuto da equipe, servindo de base para que se perceba o que deve ou não ser mais explorado em programas futuros. “Não tem como ignorar o público. Assistimos monitorando o que está acontecendo nesse universo virtual”, afirma. Tanto sucesso na internet e em tempo real já faz com que a equipe pense em, no futuro, experimentar uma edição ao vivo. Mas é justamente o clima extrovertido do estúdio um dos maiores impeditivos para colocar essa idéia em prática. “Gravamos cerca de duas horas e editamos o material. Se for ao vivo, vou ter de mandar as pessoas calarem a boca, porque muita gente quer falar sobre os temas”, explica.
Fernanda conta que, no início, a idéia era que o programa se chamasse apenas “Sexo”. Por uma recomendação da própria emissora, para que o público assimilasse melhor o conteúdo, se transformou em “Amor & Sexo”. Mas questões sentimentais, na opinião da própria apresentadora, ficaram de lado na primeira temporada. Uma situação amenizada já na segunda e que, agora, Fernanda pretende equilibrar ainda mais. “Percebo pelas pessoas nas ruas que existem muitas discussões interessantes sobre sentimento mesmo. E também comportamento. Há várias coisas entre o amor e o sexo que são interessantes”, argumenta.
Satisfeita com sua rotina de trabalho, Fernanda nem hesita na hora de ser questionada sobre a vontade de voltar a fazer novelas. “Nenhuma”, atesta a atriz de “Bang Bang” e “Pé na Jaca”. Mas não descarta a possibilidade de atuar em projetos mais curtos ou trabalhos específicos. O que já acontece em alguns quadros do “Amor & Sexo” como, por exemplo, o “Sexo Selvagem”, onde se exploram curiosidades a respeito da vida sexual de alguns bichos. “Estou realizada. Quero que esse programa dure muito tempo ainda”, torce ela, que não sabe o tempo que vai passar gravando a atual temporada. Inicialmente, estão previstos oito episódios, mas esse número ainda pode mudar. “Tudo funciona em cima de uma grade. Não existe um martelo batido. A previsão é essa, mas pode ser que a gente grave mais”, avisa.

Inclusão sexual
Ao ser lançado, “Amor & Sexo” foi pensado apenas como uma opção de entretenimento sobre um tema picante. Mas agora, dois anos depois, Ricardo Waddington admite que a experiência conquistada nas temporadas anteriores provocou uma evolução natural. O objetivo principal – de divertir – ainda é o mesmo. Mas nota-se, entre a equipe, uma preocupação maior em promover debates que possam ajudar, de alguma forma, a sociedade. “É impossível entrar neste universo e não ser alimentado e contaminado, no bom sentido. Nós ganhamos uma responsabilidade trazida pelo próprio programa. Nosso discurso vem se adequando à demanda de quem nos assiste”, garante o diretor.
A princípio, a saída do quadro “Gayme”, voltado para o público gay, poderia ser considerada contraditória com essa idéia. Mas Waddington explica justamente o contrário. “Não são universos diferentes, é um só”, defende ele, que jura ter inserido assuntos voltados para todas as orientações sexuais em cada episódio da nova temporada. “Na primeira, deixamos de falar com determinadas pessoas por estarmos tímidos. Avançamos, conhecemos melhor nosso público e ficou claro que existe uma maturidade na sociedade para abordar certos temas sem necessariamente agredir ou correr risco de rejeição”, frisa.
Marido de Fernanda Lima, Rodrigo Hilbert participa de dois episódios do “Amor & Sexo” com um quadro próprio. “Mas não posso contar mais detalhes.
É segredo ainda”, desconversa ela.

Comentários