Revista Acontece Sul

Forqueta LTDA

em Diversos - segunda, 26 de maro de 2012

Verão, tempo de colheita, época da vindima! Na serra gaúcha, um ato quase religioso para os habitantes da colônia, mas que contagia toda a população das cidades e seus visitantes. Nesta hora, mais do que nunca, “se há sol, há sina”. Assim diz o jornalista Carlinhos Santos, em um dos seus textos para o livro “FORQUETA LTDA tempo rito lugar”. Com as imagens fotográficas do fotógrafo Ricardo Wolffenbütter, diagramação do artista plástico Sandro Ka e a produção do Balcão de Arte a publicação é uma homenagem à esta comunidade que preserva suas origens por ser autêntica no modo de ser, na sua maneira de agir e nas coisas do cotidiano fazendo disto tudo uma constante celebração. Uma localidade que, generosamente, nos deixou registrar suas memórias anônimas reconhecendo-se nelas, posteriormente. Uma população que permitiu que, lentamente, fossemos nos apropriando do lugar, dos relatos pessoais, dos autoretratos, das vestes, ofícios, crenças e fazeres.
Forqueta, um território onde conseguimos trilhar livremente os caminhos para a poesia das palavras e a estética das imagens, unindo-as pelo viés da imaginação, da percepção individual e da autoria coletiva. Uma terra próspera e bela cujo olhar para o tempo futuro se faz no presente e no constante redimensionar do passado, na dinâmica habitual da herança dos guardados, no orgulho da origem familiar, nas marcas próprias das feições e falas da sua população, nos ciclos eternos de recomeço, nos legados sentimentais e seus significados.
Um rito que se expressa ano a ano em cada brotação, no momento das cantorias, na mesa farta, na oração de agradecimento à vida e na fé concretizada nas comunidades pela construção de capelas e capitéis. Na revelação, na contemplação da paisagem e nos gestos amplos de gerações que reafirmam suas raízes.
Um lugar de vales e montanhas, de vinhedos e plantações, um espaço geográfico entre Caxias do Sul e Farroupilha, do comércio as margens da rodovia, das atitudes corajosas, politizada e opinativa. Um lugar de passagem com jeito de assentamento para os que por ali trafegam ou que decidem, por lá, permanecer.
Forqueta, o caminho perene de um trem que não passa mais. Uma fábula de um lugar que cultiva suas gentes e determina seus desejos. No último dito do livro: Três trilhos em cruzamento. Rumos.
 

Comentários