Revista Acontece Sul

Deborah Secco

Por Editor Chefe e produtor do Caderno Carros & Cia - Paulo Rodrigues em Diversos - segunda, 14 de maio de 2012

Interpretar personagens mais jovens vinha sendo uma constante na carreira de Deborah Secco. Por isso mesmo veio com grande surpresa o convite para interpretar a escritora e jornalista Giovana no seriado “Louco por Elas”, da Globo. Na trama escrita e dirigida por João Falcão, a personagem é uma mãe de duas filhas, uma com 16 e outra com 10 anos, e ex-mulher do técnico de futebol Leonardo, vivido por Eduardo Moscovis. Uma realidade bem diferente da atriz, que em novembro completou 32 anos de idade. “No início, fiquei preocupada. Mas o próprio João comentou comigo que tem tanta mãe por aí que não tem cara de mãe. E é verdade! Então, caí dentro do texto e acreditei que eu poderia interpretar essa mulher”, conta a atriz.
Interpretar uma personagem com conflitos maduros nem era algo pelo qual Deborah batalhava na tevê. Mas a atriz deixa claro que não tem mais interesse em emendar novelas como fez durante alguns anos de sua carreira. E não se trata de uma preocupação em descansar por alguns meses, até porque desta vez o trabalho em “Louco por Elas” começou antes mesmo do fim de “Insensato Coração”. Trata-se, na verdade, de estabelecer prioridades artísticas. “Acho interessante poder variar entre um bom filme, uma série, uma novela e um espetáculo de teatro. Filmei ‘Bruna Surfistinha’ e quero voltar aos palcos esse ano. Tudo isso me recicla. Tenho uma relação de respeito com a Globo, as pessoas entendem meu desejo”, argumenta.
Para o futuro, Deborah espera poder explorar tipos ainda mais distintos na televisão. Como, por exemplo, interpretar uma personagem que tenha sequências de ação, algo próximo do que Malu Mader fez em “A Justiceira”. “Sou desastrada e teria de aprender a correr, a ter voz de comando”, imagina. Pelo visto, então, viver mais uma mocinha não passa nem perto da lista de vontades de Deborah. “Fazer a romântica tem muita relação com a minha vida. Quero coisas completamente ficcionais para mim”, atesta a atriz, que jura também ter vontade de raspar a cabeça em função de um trabalho. “Até já rolou, em ‘Vira Lata’, mas passei máquina quatro. Queria uma personagem com câncer, um drama assim”, avisa.  
 

Comentários