Revista Acontece Sul

Os Santos de Junho

Por Crônica - Pedro Fattori em Diversos - segunda, 04 de junho de 2012

Quem precisa de padrinho que se apresse: São João é festejado nesse mês. Quem perdeu um objeto de estimação ou uma moça quer casar, não se desespere. Santo Antonio resolve. Estamos no mês dos santos populares, junho.
Não é só com afilhados que dois amigos podem ser compadres. Nas festas de São João isto é possível, bastando haver um juramento e os dois cruzarem a fogueira três vezes, enquanto dizem o versinho:
“São João dormiu
São Pedro acordou
Vamos ser compadres
Que São João,mandou”.
Depois disso são compadres para sempre. Se alguma criança ficou sem padrinho também pode resolver a questão com a fogueira de São João. Mudando o versinho de “Vamos ser compadres”, para “Vamos ser padrinhos”, e pronto o menino tem padrinho de novo.
Se as moças solteiras invocam Santo Antonio (13), São Pedro, é invocado pelas viúvas. O primeiro papa é festejado junto com São Paulo, no dia 29 de junho. As viúvas vão em procissão pelos rios com sua imagem e dão um banho no santo. Isso assegura fartura para quem cuida da terra.
São Pedro tem a chave do céu e manda nas chuvas. Quando troveja, as pessoas dizem que ele esta arrumando a casa. E pode mesmo ser invocado para que não faça tantos trovões. São Pedro é também o padroeiro dos pescadores, já que ele próprio foi pescador, antes de transformar-se em pescador de almas.

“Meu querido Sto. Antonio.
Feito de nó de pinho.
Me arranje um casamento.
Com um moço bonitinho”.
Sto. Antonio sempre foi o santo das moças solteiras. Tratado com carinho na hora do pedido, castigado se o noivo não aparece. Já aconteceu muitas vezes o santinho ser pendurado de cabeça para abaixo, e nesta incomoda posição permanecer até que arranje o tal marido. Ou então enterrado num poço até o pescoço. As moças casadouras são muito vingativas, mas o santo não liga. Se não arranjou casamento naquele ano, é capaz de arranjar no outro. Isso se a moça renovar o pedido e rezar um Pai-Nosso pelo meio, para apressar o santo.
Santo Antonio, no tempo do Império, tinha o posto de coronel do exército e ganhava soldo no Rio de Janeiro. É que ele era considerado padroeiro de muitas batalhas ganhas. D. João VI era seu devoto e mais de uma vez condecorou-o.
Ainda hoje, muita pessoas vão as igrejas pedir pãezinhos bentos de Sto. Antonio. Acreditam que se os colocarem junto aos mantimentos, não faltará comida o ano inteiro.
 

Comentários