Revista Acontece Sul

Retrospecto

Por Etiqueta - Regyna de Queiroz Gazzola em Diversos - tera, 18 de dezembro de 2012

Dia destes, me dei conta de que o Natal está chegando. As vitrinas de todas as lojas, decoradas com motivos da Festa Natalina. Os compromissos do cotidiano, sendo abolidos porque se aproxima o Natal, que nos ocupa a maior parte do tempo, com relação de presentes, decoração da casa e a ceia, que deve agradar a todos os familiares. Em momentos assim, tenho certeza de que todos fazem um retrospecto. Seja à noite, antes de dormir, seja numa ocasião em que estejam sozinhos, o que pensam numa hora como essa?  O ano se foi.  Que é que eu fiz? Realizei tudo o que gostaria? O que deixei de fazer? Fiz o curso que pretendia? Ajudei alguém necessitado? Dei atenção aos meus filhos? E aos netos? E surge a pergunta mais delicada: Realizei alguma coisa da qual possa me orgulhar daqui para frente?
Esse retrospecto é normal que nos aconteça, a todos. Mas que felicidade a de quem pode somar ações benéficas e úteis às recordações do ano que finda. Que sensação de missão cumprida isso nos dá. E nos anima a tecer novos planos para o ano que se aproxima. Sempre aprendi que é bom sonhar, que isso é vida. Somos mais jovens de espírito ao programar coisas novas para o futuro próximo. Vamos aproveitar os dons que a vida e o estudo nos deram pois, aliados à nossa vivência, podem beneficiar outras pessoas da família e da  comunidade. Se é bom servir? É, e como! Quantas pessoas sofrem de solidão, precisam de um afago, de uma palavra amiga que as deixe mais alegres e com vontade de viver. Mesmo vivendo só, numa casa, a gente pode não sentir solidão. E os amigos? Estão à nossa volta, quem sabe na expectativa de que parta de nós aquele abraço tão esperado e que nunca aconteceu?
A timidez não é nossa aliada nesses momentos. Que tenhamos a iniciativa de dizer:  Bom dia.  Gosto muito de ti.  Que bom te ver.  Vamos tomar um café?  Estava com saudades de ti.
Que essas palavras partam do coração, e que não sejam formalidade puramente social. Porque amigo é aquele que sabe ouvir, que acompanha o outro na dor e na alegria. É o que não se melindra por pequenas coisas. É o que não se acha superior ao outro, nem mais bem nascido. É o que chora a mesma lágrima, o que se doa porque sua amizade é sincera.
São poucos, infelizmente, os que nos valorizam como seres humanos, nos incentivam a tentar o novo. São raros os que nos dizem sermos especiais e nos ajudam no desafio de encontrarmos os nossos eus não descobertos. Mas esses são os brilhantes que conseguimos lapidar no decorrer da vida e devemos conservar, como preciosidades.
Vamos enfeitar nossa árvore natalina com guirlandas de fé, de paz, de amor ao próximo. Vamos agradecer tudo o que recebemos no ano que passou, inclusive o fruto do nosso trabalho. Vamos agradecer a saúde que nos permitiu trabalhar, as oportunidades que a vida nos deu para fazermos o bem.
Amigos leitores: Faço um convite a todos: - Vamos celebrar o Natal com nossa alma em festa? Vamos, nas nossas preces, pedir para que não haja mais miséria, nem fome, nem tragédias? Pedir que nossa sociedade torne-se mais equilibrada, sem que aconteçam diferenças de raça, cor ou nível social?
Que a solidariedade adorne os pinheiros e que o AMOR não só visite nossos lares nesse dia, mas que neles permaneça, iluminando nossas mentes, com muita luz e sabedoria. Que os banquetes, em cada lar do universo, tenham também o sentido da espiritualidade, para que o Natal não seja apenas revestido de presentes, frutos do intenso marketing do comércio, mas revestido da fé necessária, que projete nossos pensamentos e ações em direção ao bem comum da humanidade inteira.
FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO!
Que possamos nos reencontrar em 2013 com o ânimo necessário às grandes realizações.
 

Comentários