Revista Acontece Sul

Cléo Pires

em Diversos - sexta, 10 de abril de 2015


Cléo Pires é o tipo mulher espontânea que fala sem medo o que lhe vem à cabeça. Talvez por isso ela seja assim, especial e despreocupada com o que vão pensar. Namorando o ator Rômulo Neto, a atriz que apareceu no ano passado, na série ‘O Caçador’, diz que para este ano lançará dois filmes ‘Qualquer Gato Vira-lata 02’ e ‘Boletim de Ocorrência’. Este última de ação que, inclusive a fez ter aulas de tiros, na qual segundo ela, tornou-se a primeira da classe. Para saber mais detalhes sobre esta conversa pra lá de descontraída, prepara-se para entrar no universo de Cléo Pires e ficar por dentro do que a gata anda aprontando fora das telas.


Revista Acontece - Quais são seus produtos de beleza preferidos que não pode faltar na sua bolsa de jeito nenhum?

Cléo Pires - Protetor solar! Procuro usar o que tem maior fator de proteção, porque eu tenho melasna [manchas que aparecem na pele]. Não posso ver a luz do dia... Sou meio vampira... (Risos). Preciso usar protetor sempre! Gosto também de um pó compacto com proteção solar que normalmente passo depois do protetor. Ele tem uma cor boa e sela bem. Saio pra correr e levo pra retocar porque com o tempo vai escorrendo. Ele salva a minha vida.

 

RA - Você é uma mulher que demora muito pra se arrumar, ou a primeira roupa que coloca é a que normalmente sai? Deixa o namorado esperando muito tempo?

CP - A primeira não, mas não passo de três peças... (Risos). Depende do dia, mas normalmente não. Quando sei o lugar que vou, mentalizo um clima que quero. Escolho baseado nisso. Têm pessoas que me ajudam, cada hora é um. Eu tenho preguiça na verdade. Sei o que quero, mas não gosto de ficar escolhendo... Sou libriana, é um saco, vou ficar horas... Prefiro mandar as referências e escolho a partir do que eles me mandam. 

 

RA - Quais são seus projetos para este ano?

CP - Eu tenho o lançamento de dois filmes que é ‘Qualquer Gato Vira Lata 02’ e outro de ação que por enquanto o nome provisório é ‘Boletim de Ocorrência’, do Tomaz Portella. Vão ser lançados este ano. Se eu não me engano até julho, mas na televisão, por enquanto não tenho nenhum projeto pelo menos que eu saiba.


RA - Você pode falar sobre a sua personagem no ‘Boletim de Ocorrência’? 

CP - Claro! O nome dela é Francis, uma recepcionista de um hotel que mora no subúrbio... Ela é a gatinha do subúrbio que tem uma vida fácil, mora com a mãe, sempre no conforto... Algo muito importante acontece na vida dela, uma reviravolta. É quando ela decidi virar policial, só que a mandam com outros policiais honestos, assim como ela, para uma cidade que está precisando fazer uma varredura. Ela começa a se envolver com invasões e progressões com fuzil, algo que ela nunca imaginou fazer, porque não era bem o que ela queria na verdade. É ação total! Ela morre de medo no início e várias situações vão acontecendo. O pano de fundo, que pra mim é o mais interessante, é um questionamento sobre a sociedade. No caso se nós estamos preparados para ter uma polícia honesta como todos querem. Será que nós somos honestos? Adoro estes questionamentos.  

 

RA - E o que você precisou aprender para interpretar essa personagem? Precisou fazer aulas de tiros?

CP - Foi muito bom fazê-la porque adoro filmes de ação, de arma, trabalho corporal... Eu tenho facilidade. Nós treinamos com o pessoal do Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) e foi muito legal porque eu era a única mulher da turma. Durante os treinos é ficar muito atenta porque qualquer erro pode ser fatal. Tem todo um jeito de segurar a arma, aprender a limpá-la, enfim... Todos os mínimos cuidados que você precisa ter porque é perigoso. O Rômulo também chegou a fazer aulas de tiro comigo, mas eu fiquei em primeiro lugar (Risos). Eu tenho que me gabar disso! Mas ele é muito bom também! Depois que eu tirar o meu porte de arma, vou ter com certeza, porque gosto bastante. 

 

RA - Então quer dizer que você tem uma boa mira? 

CP - Eu mando muito bem! Nasci pra isso! É sério! Ganhei a maior pontuação. Ele (Rômulo) vai ficar puto quando souber que eu contei pra você... (Risos). Estou bastante orgulhosa. Sou boa de mira! 

 

RA - O Rômulo (Neto) arrasou na novela ‘Império’ que acabou há pouco tempo, mas você chegou assistir alguma cena de beijo? Não fica com ciúmes quando assiste? 

CP - Eu prefiro assistir porque faz parte da nossa profissão. E não é o beijo que é mais importante, e sim a consequência para o personagem. Acredito que você tenha que mudar o foco e ser realmente pró ativa e compartilhar com a pessoa que você ama. É o trabalho da pessoa. Você participou da preparação, viu a dedicação, o quanto ele estava afim de que o personagem desse certo. Tem que torcer e curtir. O personagem dele era muito fofo e despertava todo tipo de sentimento numa pessoa. Já estou com saudades do Robertão. Até brinquei com ele dizendo que era pra se apegar a algumas características do personagem e levar pra casa porque eu amo muito! Ele tem muito do Robertão, a energia que ele trás é muito dele, mas a personalidade não. 

 

RA - Então quer dizer que vocês trocam figurinhas sobre os personagens que fazem na televisão? 

CP - Nós conversamos sobre este assunto sim. Ele é muito fofo porque sou palpiteira mesmo. Tento não ser, mas como ele gosta... Normalmente ele me chamava quando havia alguma mudança no personagem. Eu sempre falo. Ele é muito talentoso e acredito que conseguiu manifestar. Ele trabalhou muito, estava focado, estudando, mas tem umas coisinhas aqui ou ali, detalhes mais subjetivas do que objetivas de fato. Que eu como atriz sei do trabalho dele e como ficou... Nós conversamos bastante! 

 

RA - E vocês não têm planos de terem um bebezinho?

CP - Planos?! (Risos) Eu não sei fazer planos... Ele também não. A gente não tem muito do tipo ‘daqui um ano vamos fazer isso ou aquilo’. Nós temos desejos, vontades, e falamos sobre este assunto... Filhos é uma vontade nossa, mas acho que acontecerá de maneira natural... Não consigo colocar ultimato pra vida. Gosto da ideia de compartilhar com alguém que seja muito especial e preferida no universo. É incrível! Quero ter cacife para casar um dia, mas por enquanto não sei se tenho. 

 

RA - Você tem postado algumas fotos bacanas ao lado do Rômulo no seu instagram. Não se incomoda quando as pessoas não respeitam a sua privacidade?

CP - Faz parte e eu sou uma pessoa pública. Tenho instagram e não posso fingir. Eu tenho um amor na minha vida. Não vejo como exposição, mas manifestação de algo muito forte. Existe uma parte da nossa vida que é pública. Nós temos que usar a nosso favor. Não dá pra ficar renegando. Não vou deixar de fazer minhas atividades espontaneamente. Estou vivendo um momento tão gostoso! Não consigo achar motivos para não fazer.

 

RA - Você atualmente está morena e deixou de ser loira há tempo. Gosta mais desse visual?

CP - Eu amei o loiro, mas é engraçado porque todos os homens preferem que eu fique morena... Eu prefiro o loiro, mas tive que mudar por causa da personagem do filme. 

 



 

Comentários