Revista Acontece Sul

Vodka - Alta octanagem

Por Sem colunista em Diversos - sexta, 08 de abril de 2016

A vodca é originária da Europa Oriental, não se sabendo ao certo qual a sua origem exata, China, Japão, Rússia ou Polónia. Na Rússia, os csares acabaram a produção no princípio da Primeira Guerra Mundial, mas em 1925 a produção foi retomada para neutralizar o mercado negro que surgiu em todo mundo.
A vodca (ou vodka) é uma bebida destilada, incolor, quase sem sabor e com um teor alcoólico entre 35 e 60%. A vodca é a bebida nacional da Rússia. O nome vodca é o diminutivo de água (“aguinha”) em várias línguas eslavas, contudo não se tem certeza da origem etimológica, que poderia ser apenas uma coincidência. De toda forma, os estudos mais recentes apontam que a palavra wodka (gorzalka, originalmente) foi primeiramente utilizada em textos poloneses, sendo o mais antigo datado de 1643.
Popularmente, a vodca tem 40% de teor alcoólico, mas a sua graduação pode variar entre os 35 e os 60% sendo acrescido de água local, o que lhe diferencia também. A União Europeia, por exemplo, impõe um teor alcoólico mínimo de 37.5%, enquanto que as bebidas produzidas na América tem em geral 37% de teor alcoólico, pois o processo de destilação é diferente do europeu.

FABRICAÇÃO

Primeiramente é preciso obter-se o mosto, líquido formado durante a fermentação de algum dos cereais ou tubérculos utilizados. Com isso, o líquido formado terá baixa concentração alcoólica (6 a 8%) e um sabor característico à matéria-prima utilizada. Após obtê-lo passa-se para a etapa de destilação, onde o mosto é destilado. Em seguida, passa pelo processo de retificação, onde parte das impurezas é eliminada. Esses dois processos são repetidos várias vezes, até que se obtenha um destilado de altíssimo teor alcoólico (cerca de 90%), que depois é misturado com água até atingir o teor de álcool desejado. Após todas estas etapas, o produto final obtido é extremamente puro, de alta concentração e, geralmente, sem odor. Por tal motivo algumas vodcas passam pelo processo de aromatização. Existem vodcas com aroma de limão, de laranja e até de pimenta.
No Brasil e em outros países, o consumo de vodca com bebidas energéticas, apesar de contraindicado devido ao risco do aumento da pressão arterial, arritmia cardíaca e outros sérios agravos à saúde, virou mania, principalmente entre o público jovem frequentador de casas noturnas, onde são vendidos os já tradicionais “combos” que oferecem ao cliente uma garrafa de vodka combinada a um determinado número de latas de energético. Há quem aprecie também uma boa caipira de vodca.

 

 

Comentários