Revista Acontece Sul

ATTRAVERSIAMO

Por Cultura - Mara De Carli Santos em Diversos - sexta, 18 de novembro de 2016

Dizem que a palavra saudade é a mais bonita da língua portuguesa e que em nenhuma outra existe um vocábulo que expresse este sentimento. E quem não teve ou tem algum tipo de saudade? Até as coisas ruins quando resolvidas ou editadas, com o tempo podem gerar um sentimento nostálgico e saudoso. A vida é assim, feita de momentos que vem, ora como uma onda que nos atira contra um rochedo, ora nos acalenta no seu marasmo. Numa espécie de presente surpresa a vida joga no nosso colo uma série de pacotes que vamos desembrulhando, ora sozinhos, ora acompanhados. Pois, recebi no inicio deste ano a notícia de que em breve chegaria para mim um pacotinho que levará o nome de Leonardo. Isto mesmo, mais um neto, no mesmo ano em que também chegou a Giovana para fazer companhia ao Vinícius. E, para quem até quatro anos não tinha nenhuma e nem esperava ter, a média de crianças aumentando a família já pode ser considerado alto. Então, só o tempo dirá se estamos parando por aqui. 
Portanto, neste momento em se que anuncia a chegada do Leonardo, a única coisa que realmente espero, além daquelas comuns e inerentes a vinda de um bebe, é estar ao lado da minha filha e genro aguardando o meu pacotinho com um pouco de serenidade. Menino levado que pegou de surpresa a todos nós e também seus pais. Um menino que nascerá em Brasília carregando nos gens os extremos do Brasil e que receberá um nome lindo escolhido pela sua mãe, provavelmente em junho deste ano, no momento em que chorou comovida em frente à Santa Ceia do Leonardo Da Vinci, em Milão. Uma saudade carregada de lembranças daquela mesma imagem que sempre permaneceu pendurada na sala de jantar da casa da sua avó. Quem sabe tenha ocorrido diante da Anunciação à Virgem do mesmo Da Vinci, que está no Museu Uffizi, em Florença e que nos coloca diante de uma genialidade que arrebata os nossos sentidos, especialmente os dela, uma mãe de primeira viagem sem a menor intenção imediata de tornar-se. 
Veja guri, de nome de artista e de gênio, você já nascerá ligado de alguma forma a sua avó artista e esta ligação, no que depender de mim, nem os quilômetros ou as horas de vôo que irão nos separar, poderão romper. Uma distância, não tão grande assim, mas que me fará sentir saudade todos os dias, na mesma proporção do amor incondicional que eu prometo lhe dedicar, mesmo de longe, pelo resto da minha vida. Então, amado neto, vamos adiante enfrentando o novo e nos permitindo arriscar sem medo, pois tenha a certeza Leonardo, que a tudo atravessaremos juntos.

 

Comentários