Revista Acontece Sul

Emblemática

Por Vinhos - Adolfo Lona em Vinhos - segunda, 26 de maro de 2012

ssim é conhecida a variedade de uva que predomina em regiões ou países e que por conta disso está presente na maioria dos vinhos ali elaborados. Exemplos de uvas emblemáticas são a Malbec na Argentina, Tannat no Uruguai e Carmenere no Chile.
Apesar que esta situação aconteceu em épocas onde pouco se inovava, as variedades emblemáticas tem sido uma vantagem competitiva no mercado de vinhos varietais para estes países. Serviram para criar uma referência.
Recentemente tem surgido algumas discussões relacionadas a variedade mais representativa do RS que nada contribuíram para definí-la. E a razão é simples: não há variedade emblemática. Temos uma viticultura muito recente e regiões produtoras muito diferentes em clima e solo.
Enquanto na Serra predominam os solos argilosos e compactos onde a Merlot encontra condições mais adequadas, na Metade Sul os solos tem mais pedras e areia e por tal razão são mais soltos, permeáveis e pobres, apropriados para Cabernet Sauvignon. As características dos vinhos das duas regiões parecem comprovar esta tese: elegância e sutileza nos Merlot da Serra, potência e expressão nos Cabernet da Metade Sul .
O novo personagem
Como o tema vinho é amplo e generoso, surgem personagens novos a cada dia. O último descoberto recentemente é o macho-wine que é aquele que usa esta fantástica bebida para fazer públicos alguns de seus mais sábios pensamentos e se afirmar como homem. Algumas pérolas:
- “O verdadeiro vinho é o tinto” – Esta frase é digna deste novo personagem que junto com os conhecidíssimos enochatos, acha que sabe tudo, e pensa que cor de vinho é sinônimo de virilidade.
“Vinho branco? Nem pensar, não é vinho....”
“Rosé? Jamais, é coisa de mulher ou duvidoso...”
- “Espumante é bebida de mulher” – Outra do “machowine” que acha que bolinhas é coisa de mulher e de boiola. Mais cedo ou mais tarde, uma mulher vai fazer com que ele descubra o prazer de saborear uma taça de borbulhante espumante.
- “O vinho tinto de Cabernet Sauvignon é o melhor” – Esta variedade cria na mente dos iluminados fantasias exuberantes alem de dar-lhes segurança e auto-afirmação. É uma maravilhosa variedade, mas que infelizmente não é garantia sempre de grandes vinhos. Melhor? De que, de quem, quando, como, onde?
Importações
Chega a noticia do aumento do volume de vinhos importados em 2011 continuando a tendência dos últimos dez anos. O curioso é que os vinhos da América do Sul, em especial de Chile e Argentina diminuíram os volumes em relação ao ano anterior. Arrisco um palpite: estes países exageraram na disputa de vinhos de bom preço e medíocre qualidade. As prateleiras dos supermercados estão cheias destes vinhos elaborados em cantinas desconhecidas que saem dos países de origem a preços inferiores a dois dólares por garrafa. Todos são iguais, muito jovens e sem graça ou carregados de carvalho e sem personalidade. A diminuição do volume de vendas era de se esperar...
O mercado é formado em parte por pessoas pouco experientes...mas não estúpidas.
 

Comentários